BLOG

Fonoevidence canal direto

Mammy Saúde – O Significado do Choro


Fonoaudióloga, Especialista em Voz. Mestre e Doutoranda em Ciências pela UNIFESP – EPM. Diretora da Fonoevidence – Consultoria e Assessoria em Comunicação e Fonoaudióloga da TV Record. www.fonoevidence.com.br ​​

A experiência de ser mãe é única e em muitos momentos não é possível descrever todas as emoções de uma mãe e seu relacionamento com o filho. Sou fonoaudióloga e mãe, ou mãe e fonoaudióloga e acho tudo incrível. Poder vivenciar com minha filha de dois anos o desenvolvimento de sua voz, fala e linguagem utilizando meus conhecimentos de fonoaudióloga esta sendo maravilhoso.

Pude descobrir que nem sempre meus conhecimentos tão acadêmicos, e que já auxiliaram tanta gente, puderam me ajudar. Como na amamentação, por exemplo. Por outro lado, posso compartilhar com vocês o conhecimento acadêmico e prático do desenvolvimento da voz dos nossos lindos bebês.

Vou mostrar para vocês mamães como diagnosticar o significado do choro do seu bebê. Poderá facilitar e muito no seu dia a dia.

A laringe do bebê começa a se desenvolver na terceira semana de vida intrauterina e passará por inúmeras modificações até o final da vida.

Um dos eventos mais esperados ao nascimento é o choro do bebê. O choro tem a função de auxiliar o bebê a liberar a respiração. A próxima função da laringe é a de produção da voz, ou seja, comunicação, mesmo sem o bebê ter aprendido a falar.

A voz do bebê comunica o que ele esta precisando ou sentindo. É necessário apenas estar atento a alguns detalhes de cada emissão de choro.

Estudos altamente detalhados da voz dos bebês e do choro mostram o quanto é possível fazer essa identificação, já que é a primeira ferramenta de comunicação do bebê.

O choro de dor é um som agudo e estridente, de longa duração. A voz começa mais aguda e vai ficando um pouco mais grave ao longo de uma emissão de choro. A laringe faz muita força para produzir esse som e é possível ver a tensão no pescoço do bebê.

Já o choro de fome aparece com pequenas unidades de voz, com variação de tom rápida (às vezes mais grave e às vezes mais aguda). É um choro insistente.

O choro de raiva pode começar fraquinho, como um protesto, pode aumentar de volume até ficar muito alto.

O choro de medo aparece principalmente após a exposição a sons muito fortes. Em primeiro lugar surge um movimento de contração de todo o corpo do bebê seguido do rosto tenso demonstrando o susto. Esses sinais são seguidos de um choro mais longo e não tão agudo. Ao final, pode apresentar soluços e uma respiração mais forte.

A voz produzida pelo bebê quando ele sente prazer e está satisfeito é mais relaxada, muito nasal, tem curta duração e grande variação de tom.

Nos primeiros meses de vida o bebê depende desse tipo de manifestação da voz para se comunicar. Por volta de 2 meses, o bebê já começa a experimentar modulações vocais semelhantes ao que ele escuta dos pais, deixando claro que já percebe e compreende a comunicação humana.

O desenvolvimento da voz do bebê ao longo dos meses e anos sofrerá influências regionais (onde o bebê mora), os modelos que ele tem em casa e na escola e suas experiências emocionais. Sua voz terá uma identidade única, como uma impressão digital.

Ao final, a experiência de ouvir da boca dos nossos bebês a voz mais doce do mundo dizendo mamãe, “Não tem preço”.

Font: http://entretenimento.r7.com/blogs/mammy-em-dobro/mammy-saude-o-significado-do-choro-20120625/