Publicações

Os fonoaudiólogos brasileiros estão preparados para praticar a saúde baseada em evidências?

Vanessa Pedrosa Vieira, Vanessa Pedrosa Vieira, Mara Behlau, Alvaro Atallah

Ao longo dos anos, a prática baseada em evidências (PBE) tem desenvolvido e modificado a perspectiva científica e a prática clínica em todas as áreas da saúde. Esta tendência também tem sido observada na fonoaudiologia durante a última década em todo o mundo.
Os esforços para melhorar os desenhos de pesquisa e a prática clínica são notáveis. No entanto, a pesquisa em distúrbios da comunicação humana é uma tarefa complexa que garantirá a qualidade e a manutenção dos serviços em um tempo de diminuição de recursos financeiros, como estamos presenciando.
Revisões sistemáticas na área, considerando a perspectiva fonoaudiológica, são escaças e muitas vezes insuficientes para apoiar o desenvolvimento de uma metanálise.

Achados vocais em pacientes com artrite reumatóide.

Carolina Fanaro da Costa Damato, Fernanda Pontes Cardoso, Marcelo Ismael Abrahão, Katia Aparecida de Almeida Lima Lourenço, Rafael Montenegro-Rodrigues, Vanessa Pedrosa Vieira, Agnaldo Aparecido Carlesse, Virgínia Fernandes Moça Trevisani

A artrite reumatóide (AR) é uma doença sistêmica auto-imune, de etiologia desconhecida, caracterizada por sinovite crônica, simétrica e erosiva, principalmente de pequenas articulações. O acometimento da articulação cricoaritenoidea em pacientes com AR ocorre em
aproximadamente 30% dos casos, propiciando dificuldade de adução das pregas vocais, podendo gerar alterações na voz.

A análise acústica tem se tornado uma ferramenta importante como complemento da avaliação perceptivo-auditiva da qualidade vocal. Ambas têm valor auxiliar para o diagnóstico das alterações da prega vocal.
Uma das alterações que causam modificações importantes na prega vocal com repercussão evidente na voz são as alterações estruturais mínimas da cobertura da prega vocal, que podem estar associadas ao tipo de fechamento glótico insuficiente.

O modo de coaptação glótica em crianças no diagnóstico diferencial de alteração estrutural mínima.

Noemi Grigoletto De Biase, Paulo Pontes, Vanessa Pedrosa Vieira, Simone De Biase

A configuração glótica varia durante a fonação, mesmoem indivíduos sem queixas vocais e sem alterações ao exame, de acordo com a idade, o sexo, o registro vocal, a fre-qüência fundamental, a tensão e as lesões. Observa-se junção completa ou incompleta da borda livre da prega vocal;quando  incompleta,  formam-se  fendas  de  formatos  variados. 

Os problemas com a voz, popularmente conhecidos como rouquidão, são considerados fenômenos que atingem diferentes dimensões da vida do falante e limitam o bem-estar físico, social, emocional e também o desempenho profissional. Os sintomas mais comuns da rouquidão são: cansaço e fraqueza vocal, queimação, coceira, dor, secura e irritação na garganta, instabilidade ou tremor na voz e esforço para falar.

Configuração das pregas vestibulares à fonação em adultos com e sem disfonia.

Marcos Antônio Nemetz, Paulo Augusto de Lima Pontes, Vanessa Pedrosa Vieira, Reinaldo Kazuo Yazaki

As pregas vestibulares participam da emissão vocal com mudanças evidentes de posição e forma durante este processo, porém pouco ou quase nada se conhece sobre o significado desta participação e como se iniciam estes movimentos ativos que mudam sua forma e contorno. Entendemos que o conhecimento da participação das pregas vestibulares na fisiologia laríngea possa ter importante aplicação prática, pois permitirá avaliar melhor o comprometimento funcional em condições patológicas, o que auxiliará na definição de estratégias para o adequado tratamento. 

Difícil manejo do paciente com distonia segmentar respiratória.

Noemi Grigoletto De Biase, Paulo Augusto de Lima Pontes, Vanier Santos Junior, Vanessa Pedrosa Vieira, Priscila Zambonato, Reinaldo Kazuo Yazaki

A forma respiratória da distonia laríngea é rara, de difícil diagnóstico e provoca restrição respiratória de graus variados. O objetivo deste trabalho é apresentar um caso de distonia respiratória envolvendo laringe e faringe e sua evolução em relação à intensidade dos espasmos e seu controle. ESTUDO DE CASO: Paciente de 24 anos, sexo masculino, acompanhado por 5 anos: diagnóstico por nasofibroscopia e eletromiografia e tratamento com toxina botulínica conforme necessidade de controle dos sintomas.

O espectro médio de longo termo na pesquisa e na clínica fonoaudiológica.

Suely Master, Noemi De Biase, Vanessa Pedrosa, Brasília Maria Chiari

​Uma das maiores dificuldades que encontramos ao avaliar uma voz é julgar a sua qualidade por meio da análise perceptivo-auditiva que - ainda que soberana - envolve desde aspectos sócio-econômicos
e culturais até preferências individuais. Muitos são os adjetivos usados nesta avaliação e os métodos empregados, pela subjetividade envolvida neste processo, acabam gerando discordâncias entre os ouvintes e dificuldades de assumir um consenso em torno do uso desta ou daquela terminologia. Neste contexto, o laboratório de voz e, mais especificamente, a análise acústica computadorizada, trouxe a possibilidade de orientar e complementar a conduta fonoaudiológica. Entre as várias possibilidades de análise espectrográfica, o espectro médio de longo termo (Long-Term Average Spectrum - LTAS) oferece a possibilidade de “quantificar” a qualidade de uma voz, marcando as diferenças entre gênero, idade, vozes profissionais - falada e cantada - e vozes disfônicas.

Modifications of Vestibular Fold Shape From Respiration to Phonation in Unilateral Vocal Fold Paralysis

Nedio Steffen, Vanessa Pedrosa Vieira, Reinaldo Kazuo Yazaki, Paulo Pontes

The diversity of vestibular fold (VeF) behavior during phonation, as well as the lack of insight regarding both the anatomy and muscle fiber composition hinder our understanding of their role during phonation. 

To evaluate the methodological adequacy of voice and laryngeal study designs published in speech-language pathology and otorhinolaryngology journals indexed for the ISI Web of Knowledge® (ISI® Web) and the MEDLINE® database. Methods A cross-sectional study conducted at the Universidade Federal de São Paulo (Federal University of São Paulo). Two Brazilian speech-language pathology and otorhinolaryngology journals (Pró-Fono and Revista Brasileira de Otorrinolaringologia) and two international speech-language pathology and otorhinolaryngology journals (Journal of Voice, Laryngoscope), all dated between 2000 and 2004, were hand-searched by specialists. Subsequently, voice and larynx publications were separated, and a speech-language pathologist and otorhinolaryngologist classified 374 articles from the four journals according to objective and study design.

Analysis of reporters' vocal changes in the presence of noise

Cristina Ribeiro Paiva Caldeira, Vanessa Pedrosa Vieira, Mara Behlau

Verificar e comparar a ocorrência das modificações vocais de repórteres e não-repórteres na presença de ruído mascarante. 

PURPOSE: to compare the effect of telepractice and present speech and voice therapist service in television news reporters speech. 

Sinais clínicos na paralisia unilateral de nervo laríngeo superior

Noemi De Biase, Vanessa Pedrosa Vieira, Paulo Pontes

Paralisia de nervo laríngeo superior é pouco

observada, embora possa estar sendo menos diagnosticada

pela pouca repercussão clínica e maior dificuldade

diagnóstica. A confirmação é feita por meio da

eletromiografia, realizada nos casos suspeitos. Objetivo:

Determinar sinais clínicos indicativos de paralisia unilateral

isolada de nervo laríngeo superior.

Função de transferência das vogais orais do Português brasileiro: análise acústica comparativa

Maria Inês Rebelo Gonçalves, Paulo Augusto de Lima Pontes, Vanessa Pedrosa Vieira, Antônio Augusto de Lima Pontes, Daniella Curcio, Noemi Grigoletto De Biase

O trato vocal transfere suas características ao som produzido na glote, de acordo com sua configuração tridimensional.

Characteristics of hoarse, rough and normal voices: A comparative acoustic spectrographic analysis

Paulo A. L. Pontes, Vanessa Pedrosa Vieira, Maria Inês Rebelo Gonçalves, Antonio Pontes

Introduction: Vocal quality can be assessed by auditory perceptual and acoustic methods. The terms used to describe vocal quality are not standardized. However, two of them deserve special attention regarding the parameters that distinguish roughness and hoarseness, both usually referred in the literature as hoarseness. Aim: To evaluate comparatively and to define basic differences among hoarse, rough and normal voices using acoustic spectrography. Study Design: Prospective clinical randomized. Material and Method: Six hoarse, six rough and six normal voices sorted by auditory perceptual evaluation, and analyzed by spectrography under five parameters: fundamental frequency (f 0), extension of harmonics, definition of harmonics, presence of noise between the harmonics and above them. Results: Hoarse voices presented lower f0, whereas rough voices showed higher f0 in comparison to normal voices. Considering the spectrogram from 0 to 5.4 kHz, the mean value of the uppermost harmonic frequency reached 4,555 Hz for normal voices, 2,125 Hz for rough voices and 1,147 Hz for hoarse voices. Harmonic tracing in hoarse voices showed worse definition and greater amount of noise among and above the harmonics. 

O Gelfoam®, produto utilizado em pacientes com paralisias unilaterais de prega vocal, foi aplicado em uma cantora que apresentava insuficiência glótica por atrofia de prega vocal e que necessitava prosseguir em suas atividades profissionais com urgência. O produto foi aplicado por via percutânea e transluminar em consultório e, em seguida, foram realizadas avaliações vocais para acompanhamento e comprovação da eficácia do tratamento. Foram realizadas duas séries com intervalo de um ano, ambas com duas aplicações a cada 28 e 30 dias respectivamente. O resultado foi positivo, permitindo que a paciente retornasse às suas atividades e concluísse o trabalho durante o período em que o Gelfoam®, mesmo sofrendo absorção progressiva, permitiu coaptação glótica compatível com as exigências do uso da voz.

Laryngeal Manual Therapies for Behavioral Dysphonia: A Systematic Review and Meta-analysis

Vanessa Veis Ribeiro, Vanessa Pedrosa Vieira, Kelly Cristina Alves Silvério, Mara Behlau

The aim of this study was to review systematically the literature and to analyze the effectiveness of laryngeal manual therapy in addressing the overall severity of vocal deviation, the intensity of vocal and laryngeal symptoms, and musculoskeletal pain in adults with behavioral dysphonia. Study design: This is a systematic review and meta-analysis. Methods: Two independent authors selected clinical trials that analyzed the effectiveness of laryngeal manual therapy compared with other interventions in the treatment of adults with behavioral dysphonia from the Cochrane Library, PubMed, Web of Science, and LILACS. The analyzed outcomes were the overall severity of vocal deviation, the intensity of vocal and laryngeal symptoms, and musculoskeletal pain. Data analysis was conducted based on the following steps: the assessment of the risk of bias, the measures of treatment effect and descriptive data analysis, the assessment of heterogeneity, subgroup analysis, sensitivity analysis, and the assessment of reporting biases. Results: A total of 2135 studies were identified, three of which met the selection criteria. Data analysis showed an unclear risk of 100% of performance bias and 66% of detection bias, in addition to a 33% high risk of selection bias. Low statistical and clinical heterogeneities were found. In addition, no significant difference was found in the relative risk of improvement with laryngeal manual therapy and with other interventions in the analyzed outcomes. 

Diagrama de Desvio Fonatório em dois programas de reabilitação vocal

Isabella Bonzi, Glaucya Madazio, Felipe Moreti, Vanessa Pedrosa Vieira

Comparar a análise perceptivo-auditiva vocal, análise acústica e diagrama de desvio fonatório (DDF) de pacientes submetidos à terapia de voz com os exercícios de função vocal (EFV) e de pacientes submetidos ao Programa Integral de Reabilitação Vocal (PIRV). 

Identificação de aspectos comunicativos na locução de repórteres de televisão

Carolina Pennini, Vanessa Pedrosa Vieira, Felipe Moreti, Glaucya Madazio

Objetivo: Identificar a possibilidade de indivíduos leigos diferenciarem repórteres e não repórteres por meio de aspectos comunicativos em tarefa de leitura de texto. Métodos: Participaram da pesquisa 24 sujeitos falantes e 12 sujeitos ouvintes, sendo 12 repórteres em exercício profissional e 12 não repórteres e não profissionais de nenhuma categoria da voz falada. Todos realizaram uma leitura de um trecho de noticia padrão para análise auditiva. Os ouvintes eram 12 indivíduos leigos não repórteres, que avaliaram as 24 amostras de fala quanto à agradabilidade, credibilidade e clareza da articulação da fala por meio de uma escala numérica de 11 pontos, além de assinalar se o trecho ouvido era de repórter ou não repórter. Resultados: Houve elevado nível de confiabilidade intra e inter-avaliadores para os três aspectos em questão: agradabilidade, clareza da dicção e credibilidade. Repórteres obtiveram maiores escores médios para os três parâmetros avaliados, quando comparados aos não repórteres. A credibilidade diferenciou perfeitamente (100%) repórteres de não repórteres; em relação à agradabilidade e clareza da dicção, a identificação correta dos indivíduos caiu para 83%

Physical therapy for Bell s palsy (idiopathic facial paralysis) (Protocol)

Lázaro Juliano Teixeira, Soares BGDO, Vanessa Pedrosa Vieira

This is the protocol for a review and there is no abstract. The objectives are as follows: The effectiveness of physical therapies on the outcome of Bell's palsy (idiopathic facial palsy) will be reviewed. Copyright © 2006 The Cochrane Collaboration. Published by John Wiley & Sons, Ltd.

barra.png

Siga a Fonoevidence nas redes sociais:

Comunicação para a vida

Avaliações: (11) 98135-1865

ou contato@fonoevidence.com.br